Covid-19: devido a suspensão da vacina, credibilidade da Anvisa é questionada por suposto uso político

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

10 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Um evento adverso sério ocorreu em um dos voluntários do ensaio clínico de Fase III da China Vaccine CoronaVac contra Covid-19, fazendo com que o National Health Supervision Bureau suspendesse as instituições de pesquisa (Anvisa), nesta segunda-feira (9), não tem nada a ver com a vacina.

O governo de São Paulo não divulgou a causa dos efeitos adversos na coletiva de imprensa desta terça-feira (10) por se tratar de informação confidencial. No entanto, documentos do Instituto Médico Legal (IML) obtidos pela TV Cultura indicam que o suicídio é a causa da morte com graves efeitos adversos.

João Gabbardo, secretário executivo do Centro de Emergência do Coronavírus de São Paulo, disse que a vacina pode estar relacionada à vacina antes de ser metabolizada e excretada pelo corpo humano, e esse efeito durará vários dias. Depois disso, é improvável que um medicamento tenha efeito, como deixar um paciente que deveria ser atropelado tonto.

No caso de voluntários problemáticos, as reações adversas ocorreram três semanas após a ingestão presumida da vacina. Diz-se que é porque ele pode ter tomado um placebo. Essas informações também são confidenciais.

Gabbado, que foi secretário-executivo do Ministério da Saúde durante a gestão de Luiz Henrique Mandetta, acredita que alguém vazou informações para criar fatos políticos. "Não tenho dúvidas sobre isso. Há um assunto sendo discutido tecnicamente e de alguma forma alguém usou essa informação para tentar criar essa situação", disse ele.

Notícia Relacionada

Fonte


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit