Covid-19: com aumento dos casos no Brasil, Conass defende a compra imediata de doses suficientes para vacinar crianças menores de 4 anos

15 de novembro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O Conass ( Conselho Nacional de Secretários de Saúde) emitiu uma nota no dia 10 passado onde defendeu a "compra imediata de doses suficientes para vacinar toda a faixa etária incorporada e que a vacinação seja oferecida para esse grupo sem restrições", se referindo à imunização de crianças entre 6 meses e 4 anos de idade, que foi autorizada em setembro passado. O governo federal ainda não comprou as doses necessárias e, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), "em um primeiro momento restringirá a vacinação às crianças de 6 meses a menores de 3 anos com comorbidades".

Para as crianças até 2 anos de idade a vacina Comirnaty, fabricada pela Pfizer, está autorizada, enquanto crianças de 3 e 4 anos também podem tomar a CoronaVac.

A SBIm e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) também publicaram uma nota dias atrás onde, conjuntamente, endossaram a recomendação pela oferta imediata dos imunizantes para as crianças desta faixa etária. "Vale ressaltar que 50% das [crianças e adolescentes] que morreram por covid-19 entre 16 de fevereiro de 2020 e 9 de janeiro de 2021 não tinham comorbidades", enfatiza a nota.

Fontes