Covid-19: Brasil volta a registrar média móvel de mortes acima de 1.900 depois de mais de 15 dias

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

12 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A média móvel de mortes por covid-19 (referente aos últimos 7 dias) voltou a passar de 1.900 no Brasil pela primeira vez desde 24 de maio, dia em que havia chegado a 1.903. Mais especificamente, esta média alcançou ontem 1.913.

O resultado está diretamente ligado a que nos últimos 4 dias, as mortes diárias passaram de 2.500 pelo menos duas vezes - 2.378 (08/06), 2.723 (09/06), 2.504 (10/06) e 2.216 (11/06) - o que não acontecia desde meados de maio.

O número de casos novos também se manteve elevado nos últimos dias, com 85.748, 88.092 e 85.149 novas infecções, respectivamente, em 09, 10 e 11 de junho.

Em dados do Conass, Conselho Nacional de Secretários de Saúde, o Brasil tinha no final da tarde de ontem 17.296.118 casos acumulados de covid e 484.235 óbitos.

Rumo a 500 mil óbitos

Considerando a quantidade de óbitos nos últimos 4 dias, o Brasil deve chegar a 500 mil mortes por covid-19 em menos de 10 dias, se tornando o segundo país no mundo a chegar a este número. O primeiro foi os Estados Unidos, que tem atualmente pouco mais de 596 mil fatalidades pela doença em dados divulgados pelo CDC (Centers for Disease Control and Prevention) até 10 de junho.

Terceira onda?

Em seu Boletim do Observatório Covid-19 divulgado no dia 09 passado, a Fiocruz alertou que o cenário atual da pandemia é de alto risco no Brasil, "exigindo muita atenção e prudência".

No documento, no entanto, os analistas alertaram que "ainda é prematuro considerar (...) que estamos entrando em uma terceira onda”.

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit