Covid-19: Brasil completa um mês com média móvel de mortes acima de mil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

22 de fevereiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Por Brasil de Fato

A média móvel de mortes por conta da covid-19 no Brasil está acima de 1 mil desde o dia 21 de janeiro. Em nenhum outro momento da pandemia o país havia completado o período de um mês em um patamar tão alto.

Ontem (21), segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), a média ficou em 1.037. O resultado é calculado a partir da soma de todos os óbitos dos últimos sete dias, dividida por sete.

Considerado o mais negativo do Brasil antes, o mês de julho de 2020 registrou uma média acima de mil entre os dias 3 e 28.

Ainda segundo o Conass, foram confirmados 29.026 novos casos da doença no país de anteontem a ontem, com um total de 10.168.174 infectados pela covid-19 desde o início da pandemia.

Ao todo, 246.504 óbitos já foram registrados no país em decorrência da doença. Ontem, o Brasil registrou 527 mortes pelo vírus.

O que é o novo coronavírus?

É uma vasta família de vírus que provocam enfermidades em humanos e também em animais. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que tais vírus podem ocasionar, em humanos, infecções respiratórias como resfriados, entre eles a chamada “síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS)”.

Também pode provocar afetações mais graves, como é o caso da Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS). A covid-19, descoberta pela ciência mais recentemente, entre o final de 2019 e o início de 2020, é provocada pelo que se convencionou chamar de novo coronavírus.

Como ajudar quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Notícias Relacionadas

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com