Contagem regressiva para aprovação da vacina contra COVID-19 nos EUA

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

11 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A contagem regressiva está em andamento para a aprovação antecipada pela FDA dos Estados Unidos da vacina contra o novo coronavírus do laboratório norte-americano Pfizer e da farmacêutica alemã BioNTech, que se mostrou 95% eficaz no combate à doença.

Espera-se que o FDA autorize o uso emergencial da vacina nesta sexta-feira ou sábado, depois que um painel da agência votou sua aprovação na quinta-feira.

A decisão foi tomada em um momento em que os Estados Unidos registraram esta semana um dia recorde de mortes por COVID-19, com mais de 3.100. Até esta sexta-feira, o país acumulou mais de 15,6 milhões de casos e mais de 292 mil mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Dos 22 membros do júri, 17 votaram a favor da autorização da vacina, quatro contra e um se absteve, na pergunta: “Com base na totalidade das evidências científicas disponíveis, os benefícios da vacina contra COVID-19 supera seus riscos para uso em indivíduos com 16 anos ou mais?”.

Os quatro painelistas que discordaram expressaram preocupação em dar a vacina a adolescentes de 16 a 17 anos. Os menores de 18 anos eram muito poucos nos estudos de vacinas e, durante as horas de deliberação, alguns cientistas levantaram preocupações sobre os efeitos nessa faixa etária.

O projetado presidente eleito, Joe Biden, elogiou a decisão dos especialistas em um comunicado à imprensa.

Biden chamou a recomendação de "uma luz brilhante em tempo desnecessariamente escuro", enquanto agradecia à comunidade científica que avaliou "livre de influência política".

O governo dos Estados Unidos enviará imediatamente 6,4 milhões de doses da vacina para todo o país, e os profissionais de saúde que estão lutando contra a doença na linha de frente receberão as primeiras imunizações.

Um porta-voz do Pentágono disse a repórteres na quarta-feira que os militares começariam as vacinas "dentro de um ou dois dias". A vacinação será voluntária no início, mas pode ser obrigatória assim que a vacina for regularmente licenciada.

No final deste mês, o FDA deve emitir um julgamento sobre outra vacina, desenvolvida pela Moderna, que se mostrou tão eficiente quanto a Pfizer. As vacinas candidatas da Johnson & Johnson e AstraZeneca também estão em desenvolvimento.

Os suprimentos iniciais da Pfizer e Moderna serão limitados e reservados principalmente para profissionais de saúde e pacientes de asilos, junto com outros grupos vulneráveis ​​até que as vacinas estejam amplamente disponíveis, algo que provavelmente não acontecerá até a primavera.

Fontes