Câmara requisita agenda de Dilma e gravações do circuito interno e externo do Planalto

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

20 de agosto de 2009

Brasília, Distrito Federal, Brasil


A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados enviou hoje (20) à Casa Civil da Presidência da República um ofício solicitando informações sobre a agenda oficial da ministra Dilma Rousseff e requisitando as gravações do circuito interno e externo do Palácio do Planalto, que monitoram o acesso de veículos e pessoas. As gravações se referem aos meses de novembro e dezembro do ano passado. A Casa Civil tem até o dia 21 de setembro para responder à Câmara.

O documento da Mesa foi baseado em requerimento do líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), que pretende comprovar se houve ou não o encontro entre a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira e a ministra Dilma Rousseff. Lina Vieira sustenta que se reuniu, reservadamente, com a ministra. No encontro, segundo a ex-secretária, Dilma Rousseff pedi para que “agilizasse” as investigações sobre o filho do senador José Sarney (PMDB-AP). A ministra Dilma Rousseff nega que tenha conversado reservadamente com Lina Vieira.

Conforme prevê a Constituição Federal, as mesas da Câmara e do Senado têm a prerrogativa de encaminhar pedidos escritos solicitando informações a ministros de Estado. A recusa ou o não atendimento da solicitação, no prazo de um mês, é considerado crime de responsabilidade da autoridade competente. Informações falsas também serão imputadas no mesmo crime.

O requerimento do líder do DEM foi apresentado ao plenário da Câmara e recebeu parecer favorável do primeiro-vice presidente, Marco Maia (PT-RS), e, posteriormente, foi acolhido pelos os integrantes da Mesa.

Em depoimento prestado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Lina Vieira voltou a confirmar o encontro e o pedido da ministra. No entanto, a ex-secretária da Receita descartou que Dilma Roussef tenha pedido para que houvesse a interrupção das investigações.

Para os aliados do governo, como o líder governista, Romero Jucá (PMDB-RR), o depoimento confirma a tese de que não houve a tal reunião. Já os senadores da oposição, avaliaram que Lina Vieira falou a verdade e que para esclarecer as dúvidas, será necessária uma acareação entre a ministra e a ex-secretária da Receita.

Fonte


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati