Brasileiro está pagando quase 10% a mais pelo café da manhã em comparação a outubro de 2020

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

21 de outubro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O brasileiro está pagando 9,40% a mais pelo café da manhã em comparação a outubro de 2020. O dado é do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), que também apontou que o café em pó foi o item que mais subiu de preço, acumulando uma alta de 28,69%. Também subiram consideravelmente a margarina (24,30%) e o pãozinho (8,13%). O leite, segundo a FGV, foi o item que menos subiu (0,67%).

Falta de poder aquisitivo

Segundo o Dieese, o valor do salário mínimo – atualmente de R$ 1.100,00 – deveria ser cinco vezes maior. O órgão estima que para a subsistência de uma família de 4 pessoas durante um mês inteiro, este valor deveria ter chegado a R$ 5.657,66 em setembro passado.

O Dieese também apontou em seu último relatório Ánalise Cesta Básica que o brasileiro gastou, em setembro, 56,53% do salário mínimo líquido (com o desconto para a previdência social) para comprar os alimentos básicos para uma única pessoa adulta, percentual que em agosto havia sido de 55,93%.

Notícias Relacionadas

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit