Brasil: Marcelo Crivella é preso em casa na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

22 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
Crivella

O Marcelo Crivella (Republicano), o prefeito do Rio de Janeiro, foi preso sob suspeita de corrupção ativa na "sede do suborno" da prefeitura na manhã desta terça-feira (22). A operação da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) ocorreu na Barra da Tijuca na zona oeste da cidade por volta das 6h00. Segundo Alberto Sampaio, advogado de defesa de Criviera, o atual prefeito ficou surpreso, pois ainda usava pijama em casa.

Além de Criviera, também foram presos o ex-tesoureiro da campanha de Criviera, Mauro Macedo, o empresário Rafael Alves, Adeno Gonçalves dos Santos e Cristia nº Stockler Campos e o deputado aposentado Fernando Molas.

O mandado de prisão foi expedido pela juíza Rosa Helena Penna Macedo Guita no âmbito da Operação Hades e executado pela Coordenação de Investigação de Agentes do Fórum da Polícia Civil (CIAF) e pela equipe de denúncias originais da Procuradoria Geral da República (Gaocrim), MPRJ.

A investigação teve início em 2018, quando foi condenado o doleiro Sergio Mizrahy, que admitiu ser o responsável pela lavagem de dinheiro em uma organização criminosa na prefeitura do Rio de Janeiro. Segundo Mizrahy, o chefe dessa organização será o empresário Rafael Alves (Rafael Alves). Pelas informações interceptadas pela investigação, Alves afirmou que tem uma "caneta" no Rio, demonstrando que tem o direito de influenciar a decisão do Executivo. Para os investigadores, afetados por isso, o plano de suborno foi formulado.

Fonte


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit