Autoridades concordaram em transferir o ex-presidente da Geórgia da prisão para uma clínica

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

10 de maio de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O Ministério da Justiça da Geórgia “para evitar possíveis complicações” oferece ao ex-presidente da Geórgia, Mikheil Saakashvili, um exame e, se necessário, tratamento em uma clínica particular.

“Saakashvili recusa alguns medicamentos e também come seletivamente. Para evitar que isso leve a outras possíveis consequências, vamos oferecer-lhe para ir a uma clínica para tratamento”, disse o chefe do Ministério da Justiça da Geórgia, Rati Bregadze, em 10 de maio.

Informações sobre a acentuada deterioração da saúde do ex-presidente, que está preso, apareceram na mídia nas últimas semanas. Em 20 de abril, durante julgamento de um dos três casos apresentados contra ele, Mikheil Saakashvili adoeceu.

Posteriormente, os médicos o diagnosticaram com anorexia, intolerância a vários alimentos e diminuição da massa muscular no contexto da depressão pós-estresse. Os médicos acreditam que no sistema penitenciário Saakashvili não será capaz de receber tratamento adequado. Apoiadores do ex-presidente exigem a transferência de Saakashvili para tratamento no exterior.

Até agora, as autoridades acusaram Saakashvili de se recusar deliberadamente a comer para garantir sua libertação da prisão. O partido no poder também questionou o diagnóstico de Saakashvili.

A presidente georgiana, Salome Zurabishvili, saudou a proposta do Ministério da Justiça da Geórgia e declarou seu total apoio.

“A presidente acreditou e acredita que todas as medidas devem ser tomadas para garantir a saúde do ex-presidente, para que em relação a essa questão não haja questionamentos tanto entre a população da Geórgia quanto entre nossos parceiros europeus. Trata-se de uma questão de reputação e imagem do país, que exige transparência, muito cuidado e observação. É necessário eliminar qualquer perigo e proteger sua saúde o máximo possível”, disse.

A oposição acredita que desde que as autoridades concordaram com a transferência do ex-presidente para uma clínica privada, isso confirma que o estado de saúde de Saakashvili é "muito grave". O deputado Giorgi Vashadze e os seus colegas do partido apoiam inequivocamente o tratamento de Saakashvili fora da prisão, incluindo no estrangeiro.

“Por um lado, é importante para a saúde dele, também é importante para o desenvolvimento da Geórgia em geral que a saúde do terceiro presidente não esteja constantemente ameaçada. Ao mesmo tempo, este passo é muito importante para acalmar a tensão política no país”, disse Georgy Vashadze em seu comentário à mídia.

Fontes