Austrália alarmada com as negociações de segurança da China com as Ilhas Salomão

26 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

As Ilhas Salomão confirmaram que estão negociando um acordo de segurança com a China, o que causou alarme na vizinha Austrália e Nova Zelândia.

As Ilhas Salomão estão localizadas no sudoeste do Pacífico, cerca de 2.000 milhas a nordeste da Austrália.

Um rascunho do documento oficial surgiu nas redes sociais na quinta-feira. Ele detalha planos que podem permitir que Pequim envie policiais e soldados armados ao arquipélago do Pacífico para “proteger a segurança do pessoal chinês e grandes projetos nas Ilhas Salomão”.

Na Austrália, há temores de que o acordo possa levar Pequim a estabelecer uma presença militar permanente ou bases no país insular do Pacífico.

A Austrália e a Nova Zelândia têm sido os tradicionais parceiros de defesa e doadores de ajuda das Ilhas Salomão.

A ministra das Relações Exteriores da Austrália, Marise Payne, disse que respeita o direito da ilha do Pacífico de tomar decisões soberanas, mas está preocupada “com quaisquer ações que prejudiquem a estabilidade e a segurança de nossa região.”

A Nova Zelândia disse que o plano ameaçava “desestabilizar” a segurança regional.

Kevin Rudd, ex-primeiro-ministro australiano e presidente da Asia Society, uma organização internacional sem fins lucrativos, disse à Australian Broadcasting Corp. que a possibilidade de uma base chinesa nas Ilhas Salomão era preocupante.

“Na história do envolvimento da Austrália com os estados insulares do Pacífico, acho que esse é um dos desenvolvimentos de segurança mais significativos que vimos em décadas. É um que é adverso aos interesses de segurança nacional da Austrália. Quando você tem um país tão próximo das costas territoriais da Austrália quanto as Ilhas Salomão, esta é uma grande mudança no ambiente estratégico imediato da Austrália”, disse Rudd.

O governo das Ilhas Salomão disse que está “expandindo” seus acordos de segurança com mais países e “diversificando… [sua] … parceria de segurança, inclusive com a China.”

Em 2019, as autoridades de Honiara, capital das Ilhas Salomão, estabeleceram laços diplomáticos formais com Pequim depois de romper os laços oficiais com Taiwan.

A Austrália tornou-se cada vez mais cautelosa com a crescente influência da China na região do Indo-Pacífico e aumentou seus gastos com ajuda nos últimos anos.

Em fevereiro, os Estados Unidos disseram que planejavam reabrir sua embaixada nas Ilhas Salomão devido a preocupações com os planos da China na região.

Fontes