Aumento de migrantes na fronteira EUA-México reacende o debate em Washington

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Milhares de crianças desacompanhadas cruzando a fronteira mexicana com os Estados Unidos reacenderam rapidamente o polêmico debate sobre a imigração em Washington, com republicanos e democratas em desacordo sobre quem é o culpado.

O líder da minoria na Câmara, Kevin McCarthy, liderou um grupo de legisladores republicanos até a fronteira na segunda-feira para condenar as políticas do presidente democrata Joe Biden que McCarthy disse ter aberto a fronteira para a migração ilegal irrestrita.

“A segurança de nossa nação e de nossa fronteira é, antes de mais nada, responsabilidade de nosso presidente”, disse McCarthy a repórteres em El Paso, Texas, na fronteira. “Não precisava acontecer. Essa crise é criada pelas políticas presidenciais desta nova administração. Não há outra maneira de reivindicar isso do que uma crise na fronteira de Biden.”

Ao assumir o cargo em janeiro, Biden interrompeu a construção do muro da fronteira defendido pelo ex-presidente Donald Trump e avançou no que diz serem políticas de imigração mais humanitárias.

Mas Biden manteve em vigor algumas das políticas de Trump, incluindo a capacidade de expulsar imigrantes adultos e famílias, citando regras de pandemia de saúde pública.

O governo Biden não chegou a chamar de crise o influxo de migrantes, incluindo quase 30.000 crianças desacompanhadas que chegaram da América Central entre outubro e o final de fevereiro, preferindo chamá-la de desafio.

Mas Biden e seus assessores têm sofrido pressão para impedir que milhares de imigrantes guatemaltecos, hondurenhos e salvadorenhos façam a perigosa jornada pelo México para o que eles acreditam ser uma vida mais segura e próspera nos Estados Unidos.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit