Após COVID-19, OMS declara que Mpox não é mais uma emergência de saúde global

Fonte: Wikinotícias

11 de maio de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A Organização Mundial da Saúde declarou na quinta-feira que a Mpox não representa mais uma emergência de saúde pública global.

Em um briefing na sede da agência em Genebra, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que o comitê de emergência da organização se reuniu e recomendou que o surto em vários países não represente mais uma emergência de saúde pública de interesse internacional e que ele aceitou essa recomendação.

Um fator importante na decisão citada por Tedros foi uma queda de quase 90% nos casos da doença nos últimos três meses em comparação com os três meses anteriores.

O chefe da OMS creditou a queda acentuada de casos ao trabalho de organizações comunitárias e autoridades de saúde pública em todo o mundo. O órgão de saúde vinculado às Nações Unidas observou que os esforços organizacionais para informar o público sobre os riscos da Mpox, encorajar e apoiar a mudança de comportamento e defender o acesso a testes, vacinas e tratamentos são críticos.

Mas Tedros alertou que o Mpox continua a representar desafios significativos de saúde pública que exigem “uma resposta robusta, proativa e sustentável”. Os sintomas da Mpox geralmente incluem uma erupção cutânea que pode estar localizada nas mãos, pés, tórax, rosto ou boca ou perto dos órgãos genitais, bem como febre, calafrios e fadiga.

À medida que o surto se expandiu no final do ano passado, uma tendência de linguagem racista e estigmatizante online e em algumas comunidades em relação ao termo "varíola dos macacos" foi relatada à OMS. Após consultas com especialistas internacionais, a agência adotou Mpox como um novo termo preferencial para a doença.

Fontes