Amazônia perde área equivalente à metade do município do Rio de Janeiro em junho

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

4 de agosto de 2009

Relatório do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), divulgado hoje (4) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), mostra que em junho o desmatamento na Amazônia atingiu 578 quilômetros quadrados (km²), área equivalente à metade do município do Rio de janeiro.

Em relação aos dados de maio, quando os satélites haviam registrado 123 km² de desmate, houve aumento de 370%. No entanto, de acordo com o Inpe, essa comparação não é precisa, porque a cobertura de nuvens é diferente em cada mês, o que impede que os satélites visualizem sempre as mesmas áreas para compará-las.

junho marca o início do período seco na Amazônia, o que aumenta o risco de queimadas e novos desmatamentos. Em relação ao resultado de junho de 2008, quando o Inpe registrou 870 km² de área devastada, houve queda de 33%.

De acordo com o Inpe, a cobertura de nuvens na região pode ter prejudicado a visualização de mais desmatamentos. Por causa das condições de visibilidade, os satélites deixaram de verificar 43% da Amazônia Legal em junho. “Estados como o Amapá, o Amazonas e Roraima não puderam ser monitorados adequadamente, pois apresentaram um alto índice de cobertura de nuvens no período, de 96%, 70% e 94%, respectivamente”, diz o relatório.

O Pará, que pela primeira vez no ano teve mais da metade de sua área livre de nuvens, registrou a maior devastação em junho: 330 km² de florestas a menos no período (57% do total de junho). Mato Grosso aparece em seguida, com 181 km² de novas áreas desmatadas, seguido por Rondônia, com 41 km² de desmate.

O desmatamento medido pelos satélites no Amazonas foi de 16 km²; no Maranhão, de 5 km²; e no Tocantins, de 3 km². Os estados do Amapá e do Acre registraram 1 km² de desmate. Não há dados sobre Roraima.

A medição do Deter considera as áreas que sofreram corte raso (desmate completo) e as que estão em degradação progressiva. O sistema serve de alerta para as ações de fiscalização e controle dos órgãos ambientais.

De agosto de 2008 até junho de 2009, o Deter registrou 3.538 km² de desmatamento na Amazônia Legal. No período anterior (agosto de 2007 a junho de 2008), a área devastada foi de 7.822 km².

A redução verificada pelo Deter pode sinalizar queda na taxa anual de desmatamento, medida pelo Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes). O número atual (2007/2008) é de 11,9 mil km².


Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati