Amapá fica entre os dez melhores estados que mais oferecem vagas no ensino integral

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O Amapá ocupa a oitava posição entre todos os estados membros da federação em oferta de vagas nas escolas de ensino em tempo integral. O dado leva em consideração a média de vagas disponibilizadas no ensino médio ocupadas por estudantes do ensino em tempo integral, e foi obtido através do censo escolar 2020, depois que técnicos da secretaria de Estado da Educação (Seed) fizeram a análise comparativa.

Atualmente, o Amapá conta com 23 Escolas do Novo Saber – o Ensino Médio de Tempo Integral –, proporcionando aos estudantes, além de formação geral seguindo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), práticas experimentais, estudos orientados, clubes de protagonismo e projeto de vida para socializar com outras pessoas seus talentos e habilidades.

O Amapá lidera na média do número de vagas ofertadas e ocupadas na região norte. Das 23.268 vagas no ensino médio, 3.398 são ocupadas por estudantes do ensino integral, o que corresponde a mais de 14,6%. Na classificação nacional, fica atrás dos estados do nordeste, como Ceará e Pernambuco, que já atingiram taxas 50% de ocupação e são pioneiros nesse modelo de ensino no Brasil.

“O governo trabalha pensando na qualidade do ensino e isso se promove através dos investimentos e dos resultados que surgem. Essa é a escola que o estudante do ensino médio merece”, finalizou Goreth Sousa, secretária de Educação.

Tempo Integral

Implantadas no Amapá desde 2017, as Escolas do Novo Saber (Tempo Integral) possuem organização semelhante à prevista pelo Novo Ensino Médio, com ampliação da carga horária diária na escola e oferta de outras atividades para o estudante que permanece na escola das 8h às 17h, com três refeições diárias: dois lanches (manhã e tarde) e um almoço.

De acordo com a BNCC, a educação integral é uma ideia que compreende que a educação deve objetivar a garantia do desenvolvimento dos estudantes e professores em todas as suas dimensões – intelectual, física, emocional, social e cultural.

Para a professora e gerente de implantação das ETIs no Amapá, Carla Beatriz Carvalho, há uma diferença quando dizemos que a escola é integral e que oferta educação integral para os estudantes.

“O tempo integral é mais tempo na escola. Pode-se ter escolas de tempo integral que não visem a educação integral dos estudantes, ou seja, essas dimensões ou eixos formativos trazidos pela BNCC como a Formação para Vida, Formação de Competências para o século XXI e a Formação Acadêmica de Excelência, que já são trabalhadas nas 23 Escolas do Novo Saber, tempo integral, do estado”, disse professora Carla, reforçando que as Escolas do Novo Saber ofertam educação integral em tempo integral para os estudantes amapaenses.

Segundo os institutos Sonho Grande e Natura, que trabalham com educação em todo o país, um ano no ensino médio em tempo integral é equivalente à proficiência em língua portuguesa e matemática de três anos letivos em escolas de tempo parcial.

Ampliação

Durante a inauguração da Escola Estadual de Tempo Integral Augusto Antunes, em Santana, o governador do Amapá, Waldez Góes, disse que faz parte da política de seu governo estender as escolas de ensino em tempo integral para todos os 16 municípios do estado e, com isso, ampliar o número de vagas ofertadas.

“Ampliamos os investimentos em infraestrutura, tecnologia e produção de material didático nas unidades escolares. Pactuamos com todos os municípios por meio do regime de colaboração, porque não estamos preocupados apenas com os estudantes que estão nas escolas estaduais. As condições foram criadas para a educação do Amapá melhorar ainda mais, devido ao compromisso que todos temos. E reafirmo que teremos escolas em tempo integral em todos os municípios”, completou o governador.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit