Índia prende verificador de fatos da mídia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

29 de junho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A polícia de Delhi prendeu o cofundador muçulmano de um site de verificação de fatos por supostamente “ferir o sentimento religioso” dos hindus. Ativistas de direitos de mídia chamaram a ação de uma nova baixa para a liberdade de imprensa na Índia.

O jornalista Mohammed Zubair, cofundador da Alt News, foi preso na segunda-feira depois de ser acusado de insultar as crenças hindus em um tweet que postou em 2018. Zubair destaca regularmente a marginalização de minorias muçulmanas e identifica notícias falsas em seus tweets.

O tweet que levou à prisão de Zubair trazia uma foto de uma placa de hotel repintada de “Honeymoon Hotel” para “Hanuman Hotel”. O deus macaco Hanuman é reverenciado pelos hindus.

Junto com a foto, que era uma captura de tela de uma comédia de Bollywood de 1983, o texto no tweet dizia: “Antes de 2014: Honeymoon Hotel. Depois de 2014: Hotel Hanuman.”

Em 19 de junho, uma conta no Twitter compartilhou o tweet de 2018 e afirmou que era um “insulto direto” aos hindus, e instou a polícia de Delhi a “tomar medidas”.

A polícia de Délhi disse que o tweet de Zubair era “altamente provocativo e mais do que suficiente para incitar sentimentos de ódio”.

“A transmissão e publicação de tais postagens foram deliberadamente feitas por Mohammed Zubair para insultar os sentimentos religiosos de uma determinada comunidade com a intenção de provocar a quebra da paz”, disse o Primeiro Relatório arquivado pela polícia.

Vrinda Grover, advogada de Zubair, disse que ele está sendo alvo porque é jornalista e fala “a verdade ao poder”.

“Muitos outros twittaram o mesmo, mas a única diferença entre esses e meu cliente é sua fé, seu nome e sua profissão”, disse Grover ao tribunal, referindo-se a Zubair ser muçulmano e jornalista.

Fontes