Opositor de Chavez acusa governo de tentar sabotar eleições

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

29 de novembro de 2006

Alejandro Peña Esclusa, presidente da organização Fuerza Solidaria, que faz oposição ao governo de Hugo Chávez, afirmou que o governo venezuelano pretende sabotar as eleições e acusar a oposição.

Segundo o comunicado emitido por ele e publicado no website da Fuerza Solidaria com data de 22 de novembro: "o oficialismo quer impedir as eleições e imputar à oposição seus atos de sabotagem e/ou violência. Dentro desta estratégia se emoldura a campanha de calúnias realizadas pelo canal do Estado (Venezolana de Televisión - VTV) contra o presidente de Fuerza Solidaria, Alejandro Peña Esclusa". [1]

De acordo com o Fuerza Solidaria: "o oficialismo quer utilizar Peña Esclusa como 'bode expiatório' de um atentado que o próprio governo está planejando".

Opositores chamam Lula de falso moderado

Segundo o venezuelano Alejandro Peña Esclusa o Presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva "se comporta como um moderado, não porque o é, mas porque as instituições brasileiras, mais sólidas do que as venezuelanas, o impedem de impulsionar internamente um modelo castro-comunista".

Esclusa fez a mesma observação para os presidentes Néstor Kirchner, Tabaré Vásquez e Michelle Bachelet e disse que "eles ao lado de Lula formam o 'braço moderado' da organização Foro de São Paulo, todavia sem deixar de apoiar os braços mais radicais e principalmente Hugo Chávez".

Fontes