Na Eritreia pastores protestantes são presos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Localização da Eritréia.

24 de janeiro de 2006

Na Eritreia, autoridades efeturaram a prisão de pelo menos 40 pastores e outras lideranças Prostestantes na capital Asmara, numa onda de prisões para coibir a atuação de pequenas igrejas.

O início das prisões começou em 22 de dezembro quando policiais começaram a procurar e deter líderes da Igreja do Evangelho Completo, Deus Vivo, Hallelujah Rema, e de outras igrejas protestantes da Filadélfia.

O Governo proíbe todas a atividades cristãs no país até mesmo no ambiente doméstico. As únicas exceções são para as Igrejas Católica, Ortodoxa e Luterana, reconhecidas oficialmente pelo Governo. Contudo, mesmo essas igrejas reconhecidas oficialmente, também já tiveram alguns de seus líderes ameaçados e presos pelas autoridades.

O Patriarca da Igreja Ortodoxa Abune Antonios foi retirado do seu cargo como autoridade religiosa e está em prisão domiciliar desde agosto do ano passado. Ele é um crítico da política religiosa do Governo. Outros três padres ortodoxos também foram presos.

O Papa Bento XVI disse ao embaixador da Eritréia no Vaticano que a Igreja Católica está "profundamente preocupada" com a liberdade religiosa do país e disse que todo cidadão deve ter liberdade para praticar sua fé, sem nenhum tipo de ameaça ou coerção.

Fontes