Irlanda do Norte celebra 10 anos de acordo de paz

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

10 de abril de 2008

A Irlanda do Norte comemorou hoje 10 anos do tratado de paz, Sexta-Feira Santa, entre católicos e protestantes. Em Belfast foi realizada uma conferência especial em homenagem à data. Alguns dos responsáveis pelo acordo estiveram presentes, entre eles o ministro da República da Irlanda, Bertie Ahern, que elogiu sua vizinha do norte, declarando-a um lugar vibrante, moderno e pacífico.

Participaram da conferência Gerry Adans (presidente do Sinn Féin – braço polítco do Exército Republicano Irlandês, IRA); John Hume (ex-presidente do Partido Social-Democrata e Trabalhista, SDLP e prêmio Nobel da Paz); seu sucessor Mark Durkan, Reg Empey (líder do Partido Unionista do Ulster); George Mitchell (ex-senador norte-americano e mediador das negociações de paz) e os ex-ministros do Executivo de Dublin, participantes dos entendimentos.

O primerio ministro do Executivo norte-irlandês, reverendo Ian Paisley, não participou da conferência pois não reconhece o acordo. Seu partido Democrático Unonista, DUP, boicotou as comemorações desta quinta-feira. Acreditam que só tratado de Saint Andrews, na Escócia, firmou as bases para a formação do atual executivo.

O acordo de Paz de Sexta-Feira Santa foi assinado em 10 de abril de 98 e aprovado em referendo popular entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda, com o objetivo de acabar com os conflitos entre as duas partes. As divergências começaram porque a Irlanda do Norte, maioria da população protestantes unionistas, queria a região ligada ao Reino Unido e a República da Irlanda, maioria católicos nacionalistas, desejavam a reunificação e um país independente.

Antes do acordo houveram diversos confrontos entre paramilitares unionistas e terroristas católicos, tendo o IRA como principal representante, que resultaram em mais de 3.600 mortes desde 1969.

Fontes