Crime no Japão envolve dekasseguis

From Wikinotícias
Jump to: navigation, search

2 de julho de 2008

Kosai

Um crime ocorrido em  Kosai, província de Shizuoka, localizada a 250 km de Tóquio repercutiu entre a comunidade brasileira da cidade. Na região moram 30 mil dekasseguis provenientes do Brasil.

O corpo de um homem foi encontrado no dia 14 de junho em uma região de mata fechada da cidade, em um local pouco frequentado pelos moradores locais.

O cadáver estava em adiantado estado de decomposição e apresentava ferimentos no rosto e perfuração de faca no peito direito e não portava documentos. A autópsia revelou que as obturações dentárias usavam amálgama de prata , um material não utilizado no Japão por causa do mercúrio, levando a polícia a levantar a possibilidade da vítima ser estrangeira.

No dia 28, os investigadores da delegacia local identificaram o corpo como sendo do operário paulistano Rodolfo Roque Chaves, 34, morador da vila de Arai, vizinha de Kosai.

No mesmo dia foi emitida e executada a ordem de prisão de Karina Kato Macedo, 28, nascida em Paulínia-SP sob a acusação de abandono de cadáver. Karina disse em seu depoimento que na noite do dia 7 de junho, acompanhou com seu carro , um outro veículo de um casal de conhecidos até o as proximidades do local onde o corpo do brasileiro foi descoberto.

Karina negou que tivesse envolvimento no assassinato de Rodolfo e disse que apenas acompanhou o casal que também eram brasileiros.

Segundo a brasileira , no outro carro estaria Rodolfo e o casal. A polícia não divulgou o nome do casal, apenas revelou que eram a ex-mulher de Rodolfo e o seu atual companheiro.

A imprensa japonesa apurou que o casal de brasileiros deixou o Japão no dia 12 de junho, através do aeroporto Centrair-Nagoya dois dias antes da descoberta do corpo. O destino seria o Brasil.

O casal seria Mauro Tadao Yamashita, 37, nascido em Cuiaba,MT, e Fredeiglania Lopes Chaves, 34, nascida em Tuntun, MA.

Fredeiglania é a ex-mulher de Rodolfo , e nos registros na prefeitura da vila de Arai constam que chegaram ao Japão no dia 7 de maio de 2007 e moraram junto até 31 de janeiro de 2008, quando Fredeiglania sai para morar com Mauro.

Os investigadores suspeitam que Fredeiglania e Mauro participaram do homícidio de Rodolfo, baseado nas manchas de sangue encontrada no carro do casal que foram identificadas como sendo do brasileiro morto.

A polícia tem até o dia 18 de julho para concluir o inquerito da brasileira Karina que se encontra incomunicável na cadeia da delegacia da cidade de Iwata.

Esse não é o primeiro caso de homicídio envolvendo brasileiros na região que se refugiaram no Brasil. Em 2005, na cidade de Hamamatsu, o mineiro Humberto Hagime Alvarenga teria assasinado um japonês em um restaurante e roubado cerca de 42 mil ienes. Humberto fugiu para o Brasil e foi localizado pela polícia brasileira, julgado, e atualmente cumpre pena de 30 anos em Belo Horizonte-MG.


Fontes