Confusão marca novo jogo entre Santos e Corinthians

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fussball.jpg

14 de outubro de 2005

Brasil

Ontem à noite (13), ocorreu confusão durante o jogo entre Santos e Corinthians em partida pelo Campeonato Brasileiro de Futebol. Houve invasão de campo e a partida teve que ser encerrada perto dos 42 minutos do segundo tempo. A arbitragem de Cléber Wellington Abade foi criticada por jogadores, torcedores e dirigentes do Santos.

Obedecendo à orientação do Presidente do Tribunal Superior de Justiça Desportiva, Luiz Sveiter, a partida foi realizada com portões abertos para substituir o jogo de 31 de julho: Santos 4 x 2 Corinthians. Aquela partida teve a arbitragem de Edilson Pereira de Carvalho, pivô do escândalo do apito.

Jogando em casa, na Vila Belmiro, em Santos, com o apoio da torcida a equipe santista, mesmo sem ser brilhante, foi um pouco melhor do que o Corinthians durante o primeiro tempo. O jogador Giovanni, dos Santos, estava bem e desequilibrava o jogo a favor de sua equipe.

É Giovanni que, aos 11 minutos, numa grande jogada, faz um bonito passe e deixa Cláudio Pitbull de frente para o gol, que não desperdiça e faz Santos 1 X 0 Corinthians.

O Santos teve oportunidades para ampliar, contudo foi o Corinthians que marcou, por volta dos 34 minutos. Numa cobrança de falta, a bola é levantada na área santista e Betão, sozinho, empata.

No segundo tempo, o Corinthians se organiza melhor em campo e consegue equilibrar o jogo. O Santos continua a atacar, mas não consegue vencer a defesa corinthiana.

O técnico do Santos, Nelsinho Batista, na última substituição que tinha direito, mexe no ataque e coloca Luizão no lugar de Cláudio Pitbull. Luizão não fica em campo mais do que três minutos, e antes mesmo de tocar na bola é expulso de campo. O jogador santista, marcado e agarrado por Wendel, perdeu a paciência e tentou atingir o corinthiano duas vezes com uma cotovelada. Wendel caiu no chão e o árbitro deu cartão vermelho para Luizão.

Mesmo com um jogador a menos e sem o centro-avante, o Santos surpreende e passa à frente com Luciano Henrique (que entrou no lugar de Fabinho) aos 24 minutos.

Contudo, a alegria santista dura pouco e Nilmar, do Corinthians, aproveitando uma bola jogada na área, sem marcação, empata novamente aos 26 minutos.

O Santos ainda tentava reagir e vencer a partida, contudo tinha um jogador a menos e era a equipe do Corinthians que estava melhor em campo naquele momento.

Aos 36 minutos, num lance difícil e duvidoso, o árbitro Cléber Wellington Abade marca pênalti de Zé Elias em Nilmar, a favor do Corinthians. Os santistas reclamam, mas a penalidade é confirmada. Carlos Alberto cobra e vira o jogo: Santos 2 x 3 Corinthians

Após o gol, os jogadores santistas ficam desanimados e a torcida começa a gritar "Edilson", numa alusão ao árbitro Edilson Pereira de Carvalho. Ao dar nova saída de jogo, Giovanni chuta a bola para fora em direção à torcida e diz: "Acabou!".

Em seguida, numa nova jogada, nervoso, o goleiro do Santos, Saulo, se desentende com Carlos Alberto do Corinthians e tenta agredi-lo. Apesar de o agressor ter sido o goleiro, é Carlos Alberto que acaba expulso. Revoltado o jogador corinthiano se recusa a sair de campo. Convencido por seus companheiros, Carlos Alberto deixa o gramado, reclamando bastante.

A partir daí começa haver invasão de campo. Os seguranças do Santos e a polícia tentam conter os invasores mas eles são muitos. Nas arquibancadas a polícia atira balas de borracha. Os torcedores revoltados destroem o alambrado, puxam fios e quebram as cabines da imprensa. Repórteres em campo são agredidos.

Os jogadores santistas abandonam o campo e vão para o vestiário.

Num determinado momento, um homem bastante forte, invade o campo e tenta agredir o árbitro, mas é detido pelos policiais.

Alegando falta de segurança para continuar, o árbitro Cléber Wellington Abade decreta final da partida aos 42 minutos do segundo tempo. Os jogadores do Corinthians, que até então estavam no gramado esperando o reinício do jogo, comemorando bastante encaminharam-se para o vestiário.

Ficha técnica

Campeonato Brasileiro 2005 - 13 de outubro de 2005
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos (São Paulo)

Árbitro: Cléber Wellington Abade (São Paulo)
Assistentes: Everson Luís Soares (São Paulo) e Marinaldo Silvério (São Paulo)
Renda: Jogo com portões abertos Público: 13.041

Gols: Cláudio Pitbull (Santos), aos 11 minutos do primeiro tempo; Betão (Cornthians), aos 34 minutos do primeiro tempo. Luciano Henrique (Santos), aos 24 minutos do segundo tempo; Nilmar (Corinthians) aos 27, e Carlos Alberto (Corinthians) de pênalti, aos 39 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos: Kléber e Zé Elias; Roger
Cartão vermelho: Luizão; Carlos Alberto

SANTOS: Saulo; Paulo César, Ávalos (Rogério), Luiz Alberto e Kléber; Fabinho (Luciano Henrique), Zé Elias, Heleno e Ricardinho; Giovanni e Cláudio Pitbull (Luizão).

Técnico: Nelsinho Baptista.

CORINTHIANS: Fábio Costa; Coelho, Marinho (Bobô), Betão e Gustavo Nery; Wendel, Bruno Octavio, Rosinei e Roger (Dinelson); Tevez (Carlos Alberto) e Nilmar.

Técnico: Antônio Lopes.


Desporto
Este artigo descreve um evento desportivo acompanhado ao vivo pelo colaborador. Eventos desportivos acompanhados pelos colaboradores não precisam de fontes especificadas.

Ver também